12102018Seg
Última atualizaçãoQui, 22 Nov 2018

slot

Notícias

China condena pastor a sete anos de prisão por entrar com Bíblias no país

O pastor John Sanqiang Cao foi condenado  à prisão, na China. Segundo Jay Sekulow, conselheiro-chefe da ACLJ, ele foi injustamente atacado por causa de sua fé  cristã, além de ter sido condenado a sete anos de prisão.

Cao está preso há mais de 20 meses, segundo a CBN News. Em março de 2017, Cao e um amigo usaram uma jangada de bambu para atravessar da China para Mianmar. Ele tinha feito a viagem muitas vezes antes de levar suprimentos e comida para o país.

No entanto, desta vez, agentes de segurança o prenderam quando ele chegou na China, dizendo que ele estava levando Bíblias para o país.

"Meu pai, sendo um ministro cristão, sabia no que estava se metendo e muitas vezes se orgulhava do risco de um dia se tornar um mártir por suas crenças", disse Ben, filho de Cao, à CBN News no início deste ano.

Homem de Fé

Cao tornou-se cristão aos 20 anos e frequentou o seminário em Nova York. Ele é casado e tem dois filhos. Sua casa permanente é ele Carolina do Norte.

Ele trabalhou na China Central e do Sul por mais de 20 anos, ajudando a fundar escolas bíblicas e fornecendo ajuda humanitária. De acordo com o ACLJ, ele ajudou a construir cerca de 16 escolas que atendem cerca de 2 mil alunos.

"O pastor John não deveria passar mais um dia naquela horrível prisão simplesmente por causa de sua fé e por conta de seu desejo de ajudar os outros", diz uma petição para sua libertação. “Estamos ativamente e agressivamente pedindo ao governo chinês que liberte o pastor John e permita que ele volte para casa nos Estados Unidos para se reunir com sua esposa e filhos”.

Fonte: Guia-me https://guiame.com.br/gospel/mundo-cristao/china-condena-pastor-sete-anos-de-prisao-por-entrar-com-biblias-no-pais.html


Príncipe herdeiro da Arábia Saudita propõe reforma do islamismo

Um príncipe herdeiro da Arábia Saudita chamado Mohammad bin Salman pode ser uma figura importante em um possível grande impacto mundial. É que ele faz parte de uma geração que tem visto os últimos acontecimentos no país de forma bastante negativa e deseja mudança.

"Uma grande parte da população que tem menos de 30 anos está olhando para os últimos anos do que aconteceu na Arábia Saudita de uma forma muito negativa", compartilha David Bogosian, missionário da Christian Aid Mission.

“Salman é uma dessas pessoas. Ele faz parte desse grupo demográfico e tem o pulso de onde o país está se dirigindo demograficamente”, complementou. A Arábia Saudita tem sido atormentada por grupos extremistas. Agora, o príncipe herdeiro tem uma proposta.

“Ele está procurando fazer algo que me parece bem radical. Ele quer reformando o Hadith”, diz Bogosian. O Hadith é uma coleção de ditos do profeta Maomé, do Islã. É também uma fonte significativa de leis religiosas islâmicas e de orientação moral. Bogosian diz que o livro é do tamanho de uma Enciclopédia Britânica.

No entanto, o Hadith não é apenas onde os muçulmanos encontram seu modo de vida, é também onde os ramos extremistas do Islã, como os Wahabi, atraem seu apoio. Simplificando, o Hadith tem partes boas, e tem partes ruins.

Mudanças potenciais na Arábia Saudita

“O príncipe herdeiro está propondo a criação de um comitê, um grupo de pessoas, para revisar o livro e decidir o que será mantido e o que será descartado”, explica Bogosian. “Isso é bem épico. Na história do Islã, isso nunca foi realmente tentado, pelo menos não por um tempo. Esse corpo de literatura existe há mais de um milênio”, coloca.

“Ter alguém tão significativo, tão influente quanto a família real da Arábia Saudita propondo uma mudança para isso, certamente terá repercussões por séculos”. Ainda assim, o maior desafio do príncipe herdeiro é fazer com que clérigos e líderes islâmicos concordem em reformar. Até agora, as mudanças que foram propostas ganharam apoio.

“Por exemplo, uma grande mudança foi a redução da atividade da polícia religiosa na Arábia Saudita, que foi bem recebida pela maioria da população. Especialmente pelos mais jovens”, diz Bogosian.

“Esse foi um movimento significativo que não viu nenhuma grande resistência do conselho religioso na Arábia Saudita. E eu acho que é um sinal, que há uma disposição para flexionar, para se adaptar aos novos tempos”, ressalta.

Efeitos em todo o mundo

Bogosian ainda explica que a Arábia Saudita tem uma grande influência, particularmente com os muçulmanos sunitas, em todo o mundo. E se o país estiver disposto a começar a implementar mudanças, isso poderá ter um efeito em todo o mundo muçulmano - tanto no Oriente Médio quanto em outros lugares.

“Eu penso nisso em um sentido como o impacto que a Reforma Protestante teve na Europa, há 500 anos”, compartilha. "Você pode dizer que, em certo sentido, o mundo islâmico está talvez entre 400 a 500 anos atrás do cristianismo", finalizou.

Fonte: Guia-me

Israel Salazar, ex-integrante do Diante do Trono, está com câncer e pede orações

Israel Salazar comunicou aos seus seguidores das redes sociais que ele está com câncer, um linfona de Hodgkin, diagnosticado depois de surgir nove nódulos no pescoço do cantor.

Ex-membro do ministério Diante do Trono, o cantor tem seguido carreira solo e passou os últimos dias se apresentando em igrejas no Sul do país. Mas nesta quarta-feira (14) ele fez uma biópsia para iniciar o tratamento.

“Ele [linfoma] está em mim, mas ele não é meu, porque o meu corpo é de Jesus”, declarou ele ao lado de sua esposa. “No corpo de Jesus não tem linfoma, não tem câncer… o corpo de Jesus é curado”, declarou.

O tratamento da doença é feito com quimioterapia, Israel declara que acredita na cura. “Nós cremos na cura completa deste problema. Nós oramos e pediu, mas Deus não curou antes do processo [de quimioterapia], mas ele pode curar durante este processo”, completou.

As agendas de março e abril do cantor foram canceladas, pois o tratamento pode durar de três a seis meses. Em todo o momento Israel se colocou como um homem de fé e declarou que esta batalha está vencida no nome de Jesus.

Ele aproveitou o momento para pedir orações de seus amigos e admiradores.

Fonte: Folha Gospel

Jim Caviezel diz que foi chamado para levar Cristo a Hollywood: “Temos que ser amor”

O ator Jim Caviezel acredita que foi chamado por Deus para fazer filmes bíblicos e compartilhar o amor de Jesus Cristo na indústria do cinema. Ele irá interpretar Lucas no filme “Paulo, Apóstolo  de Cristo”, que irá estrear no Brasil em 3 de maio.

“Quando pensamos em conversão, isso não vai nos tornar necessariamente mais ricos, mas vai fazer uma coisa — nos dará um coração cheio de uma alegria que nos faltava”, disse Caviezel em entrevista ao site The Christian Post.

“Certamente, na minha indústria, eu vi muitos que são ricos, mas estão mortos”, acrescentou o ator. “A mensagem do meu Senhor para mim foi: ‘Você sentiu meu amor passar por você. Você não pode julgá-los, você tem que ser amor por eles, porque esse é o único Cristo que eles vão conhecer’”.

Caviezel destacou que embora a indústria do cinema evite abordar filmes baseados no cristianismo, ele prefere servir a Deus do que a superficialidade de Hollywood. “Minha indústria existe há um século, a palavra de Deus existe há cerca de 5 mil anos, se você voltar para Moisés e Abraão”, afirmou o ator.

Lembrando de sua atuação no filme A Paixão de  Cristo”, ele comentou: “Eu sou o cara certo? Não, eu nunca pensei que fosse o cara certo para interpretar Jesus, mas um amigo meu me disse: ‘Deus nem sempre escolhe o melhor, mas Ele escolheu você’”.

Caviezel acredita que assumir o papel desses homens de Deus é um “chamado”. O ator ainda pretende espalhar os ensinamentos bíblicos em Hollywood com todos que ele tem contato. “Se quisermos preservar a verdade, temos que mostrar por amor”, comenta.

O ator observa que quando o Evangelho não é compartilhado, é como se os cristãos estivessem apenas fazendo parte de um clube. “Se eu dissesse a você: ‘Por que você se converteu?’ Você diria: ‘Por causa do amor Dele por mim’. Bem, então, por que você não compartilha isso com os outros?’”, questiona Caviezel. “Acabamos nos tornando como um clube de elite, e isso não é apropriado”.

O longa “Paulo, Apóstolo de Cristo” mostra a trajetória do mais infame perseguidor dos cristãos ao apóstolo mais influente de Jesus. O filme apresenta os últimos dias de Paulo, aguardando a execução pelo imperador Nero em Roma sob o olhar atento do ambicioso prefeito da prisão de Mamertine, que procura entender como esse homem pode representar uma ameaça.

Fonte: Guia-me

“O físico afeta o espiritual”, diz pastor sobre cuidados com a saúde e alimentação

Na virada do ano, uma das metas da maioria das pessoas é perder peso e ter uma vida mais saudável. O cuidado com a saúde física é importante e pode provocar reflexos na saúde espiritual, de acordo com o pastor Shane Idleman, da igreja Westside Christian Fellowship, na Califórnia, nos Estados Unidos.

Durante uma pregação, Idleman incentivou os cristãos a avaliar mais profundamente não apenas o que escutam, mas também o que colocam dentro de seus corpos. Ele ainda definiu que o hábito de não comer de forma saudável se desenvolve quando uma pessoa tem a capacidade de cuidar do seu corpo, mas escolhe não cuidar.

“O físico afeta o espiritual”, disse o pastor em seu sermão. “O que aflige o Espírito Santo em nossas vidas? A desobediência’.

Incentivando os cristãos a se “submeterem a Deus ao invés do ‘deus de suas barrigas’”, Idleman advertiu que o estilo de vida moderno pode promover a gula. Esse tema também já foi um desafio para ele, que lutou contra a obesidade ao longo de sua vida.

“Nessa mesma época, no ano passado, eu tinha provavelmente uns 108 quilos”, ele revelou. “[A obesidade] sempre foi uma luta desde que eu era pequeno”.

Por outro lado, o pastor reconhece que o consumo de alimentos prejudiciais é “uma luta para a maioria de nós”, refletindo ainda mais sobre sua própria jornada. “Quando estava com excesso de peso era porque eu negligenciava essa área. É difícil pregar o que você não está vivendo”, comentou.

Fonte: Guia-me


Bingo sites http://gbetting.co.uk/bingo with sign up bonuses